Marte na 4ª Casa

Qualquer coisa na 4ª Casa pode ser escondida da vista. Porém, mais cedo ou mais tarde, a ânsia de expressar o self latente de um Marte na 4ª Casa não consegue mais ficar reprimida. E, como tudo que fica muito tempo trancado no porão, pode não estar muito bonito nem ser muito lindo à hora que você for tirá-lo de lá. Este posicionamento sugere uma agressividade oculta e uma raiva que é preciso levar à superfície para ser analisada, reintegrada à personalidade e conscientemente dirigida para fins construtivos. À primeira vista, Marte pode parecer como uma fúria e uma raiva intensas, irrompendo vulcanicamente por toda parte, surpreendendo tanto a quem o está expelindo como a todos os que estão por perto. Uma vez libertado este Marte, quem tem este posicionamento eventualmente cresce, torna-se mais apto e gracioso ao se expressar e aprecia tudo o que se passa dentro de si - tanto as pastes desagradáveis, como as boas. Voltando ao Marte de 4ª Casa, como beber uma cerveja de boa marca, estimula partes que os outros planetas não alcançam. Uma espécie de vitalidade aquosa que não estava presente antes penetra mais a vida.
Quando a maioria das pessoas volta para casa a fim de descansar depois de um duro dia de trabalho, eles apenas querem tirar os sapatos, preparar um drinque, levantar as pernas e ver televisão. Mas para quem tem Marte na 4ª, é depois de batido o ponto de saída que começa o seu dia. No lar e em sua vida pessoal eles são mais capazes da revelar maior ansiedade e empreendimento, isso para não mencionar seus traços de domínio e agressividade. A este respeito, são muito parecidos com uma criatura chamada de "peixe bravo". Este peixe guerreiro precisa de outros peixes nos quais descarregar sua agressividade. Se um par deles for isolado num tanque que não contenha outros peixes, o macho vai dirigir sua agressividade contra sua própria fêmea e criar sua prole. De maneira semelhante, quem tem Marte na 4ª Casa pode deslocar a raiva que sente latente dentro de si não nas outras pessoas, mas nos inocentes que estão esperando por eles em casa. Bem-comportados e dóceis no trabalho, podem voltar para casa doidos por uma briga. No entanto, essa agressão pode ser desviada de outro modo: trabalhando no jardim, aumentando a área da casa, provocando alguém para que fique com raiva deles, caindo das escadas, e assim por diante.
O pai (ou o antepassado oculto) pode ser vivenciado como poderoso e dominador ou como implicante, briguento, potencial e sexualmente violento. Quem tem este posicionamento vai ter de lutar com o pai para conseguir seu próprio senso de autonomia e liberdade de expressão. É possível que não tenham sucesso nisso até que estabeleçam seu próprio lar, e, normalmente, existe uma forte ansiedade para fazê-lo. Muitas vezes eles descendem de um ambiente de "sobreviventes", e também possuem uma poderosa elasticidade - na verdade, s6 podem ser mantidos tranqüilos por algum tempo antes de voltarem a brigar.
Com Áries no Fundo-do-Céu ou na 4ª Casa, existe uma profunda necessidade de encontrar o self em seu próprio direito, em vez de confiar na tradição ou no padrão da família de origem. Quanto mais quem tem Marte ou Áries no nadir explore dentro de si mesmo, mais irá encontrar reservas de energia soltas e criatividade ansiando por uma saída intencional. Muitas vezes, e só mais tarde, na segunda metade de suas vidas, eles estarão bastante livres de laços e restrições para atingir inteiramente a pergunta: "Mas, afinal, o que Eu quero?".

12 comentários:

Anônimo disse...

Como é que você sabe que eu tenho problemas com o meu pai e que sonho com o dia em que serei de fato independente?? hahaha
Parabéns pelo trabalho, as características citadas realmente se entrelaçam com a realidade!

Anônimo disse...

Muito muito Obrigada!
Me ajudou bastante a entender marte na quarta casa!

Lara Moncay disse...

Grata pelos comentários.

Marcos Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Michelle Lisboa disse...

Ler isso mexeu bastante comigo. Me fez chorar muito e eu nem entendo o pq. Tenho Marte na casa 4 em capricórnio e me identifico muito com essas características. A agressividade diminuiu significativamente, mas minha relação com meu pai sempre foi sofrida e somente agora, aos 29 anos e há quase 3 anos morando há 3728 km dos meus pais, ė que consegui me descobrir de fato. Acabo de romper com um cargo efetivo de concurso, uma carreira, um relacionamento de mais de 6 anos, um apartamento que adoro numa localidade que muito gosto, para voltar para a casa dos meus pais e recomeçar tudo, uma vez que percebi que a vida que até então eu levava não era nada parecido com o que eu quero. Lembro bem, quando mais jovem, da sensação inquietante de me aproximar do dia em que sairia da casa dos meus pais e viveria sob minha própria vontade e minhas regras. Coisas muito simples aliás, como poder finalmente ouvir a música que eu quisesse, ou assistir a um filme de meu próprio gosto. Mas quando finalmente pude, percebi que nem tive a chance de saber de que tipo de música eu gosto, por exemplo... E hoje, embora nunca tenhamos conversado a respeito, o meu pai me pede desculpas por ter me reprimido a tal ponto, e por ter me impedido de descobrir do que eu gosto, o que eu quero, o que eu sou. Agora teremos a nossa segunda chance.

Guilherme Pessanha disse...

Esse texto tem muito a ver com a minha essência. Tenho problemas com a minha família, principalmente com o meu pai, por entender que muitos valores que eles me passam não fazem sentido algum pra mim. Tenho 31 anos e continuo morando com a minha família, mas sinto que isso só me traz bloqueios. Acredito que somente saindo de casa terei a sensação de andar com as minhas próprias pernas, seguindo minhas convicções e valores.

Ana Beatriz Arantes disse...

Sou Ariana com Marte em escorpião na casa 4 e isso me descreveu muito, inclusive o problema com meu pai ...

Ana Beatriz Arantes disse...

Sou Ariana com Marte em escorpião na casa 4 e isso me descreveu muito, inclusive o problema com meu pai ...

Anônimo disse...

Meu Deus, como a Astrologia pode ser tão verdeidaira me descreveu direitinho explosões emocionais, dependência e o principal conflitos familiares. ��

Anônimo disse...

verdadeira**

Simone Serrano disse...

Como esse posicionamento machuca. Marte e sol na casa 4 em escorpião. Hoje por exemplo to querendo morrer. Que posicionamento mais doloroso e eu ainda tenho uma lua conjunta a saturno na casa 11 em gêmeos e uma mãe que nunca esteve nem aí.