Plutão na 7ª Casa

O soberano grego do mundo subterrâneo só foi visto deixando seu reino para dirigir-se ao mundo superior duas vezes; uma, para curar uma ferida provocada por Hércules, e outra para trazer Perséfone para seu reino. Similarmente, os trabalhos de Plutão podem ser observados de maneira mais clara na doença e na esfera dos relacionamentos íntimos.

Plutão na 7ª casa significa que ele pode ser encontrado na área dos relacionamentos. Em vez de ver o casamento ou as uniões íntimas apenas como um caso "feliz enquanto dura", é aconselhável para quem tem este posicionamento entender os relacionamentos como catalisadores ou agentes de transformação pessoal, de crescimento e mudança.

Liz Greene diz de Plutão nesta casa que "a entrada no mundo inferior vem através de outra pessoa". Em outras palavras, o relacionamento vai mergulhá-los em profundos complexos emocionais que ficaram retidos na psique desde a mais tenra infância (ou até antes, se se acredita em carena e reencarnação). Através do relacionamento, partes da natureza que foram queimadas, reprimidas ou muito controladas pelo ego vão irromper desordenadamente na vida diária. Depois da explosão, vem a tarefa da recomposição, felizmente com maior sabedoria e mais conhecimento de sua própria complexidade.

Se essas pessoas não estão inteiramente em contato com seus lados sombrios e indiferenciados, elas podem projetar essas qualidades nos companheiros. Se não tomaram conhecimento de seu potencial de rudeza, de trapaça, de maus-tratos, de ciúmes, de inveja e de possessividade, elas parecem atrair esses traços em outras pessoas. Novamente a natureza da vida volta-se para a totalidade; se não estamos vivendo essa totalidade, o exterior a traz até nós.

Onde quer que Plutão caia no mapa é onde o deus da morte e da destruição pode ser encontrado. Alguns com esse posicionamento sentem a própria inclinação para a destruição na área dos relacionamentos e, conseqüentemente, vivem com medo de que os outros sejam capazes do mesmo tipo de comportamento. Ou podem rejeitar completamente sua própria energia destrutiva, atribuindo-a a outra pessoa. Por negar a apreensão de que mais cedo ou mais tarde o outro vai romper com o relacionamento, eles têm dificuldades em confiar no parceiro ou em se sentirem seguros num relacionamento. Tentando evitar essa catástrofe, podem tentar dominar, possuir e controlar o parceiro. Infelizmente, tal comportamento muitas vezes serve para afastar a outra pessoa, com isso fazendo acontecer aquilo que mais temiam. Como no caso de Plutão em qualquer casa, a divindade que traz a doença é também aquela que traz a cura. Para limpar toda a sujeira em que nossos próprios complexos inconscientes nos atiram, Plutão oferece-nos uma pá e diz: "Comece a cavar”. Neste processo, podemos também desenterrar algumas boas razões pelas quais tudo teve de acontecer assim.

Vi muitos casos em que Plutão na 7ª Casa queria terminar um relacionamento mas temia faze-lo por várias razões. Invariavelmente, de algum modo eles provocavam a outra pessoa a fazê-lo por eles.

Alguns podem encontrar Plutão na 7ª Casa através da morte de um companheiro. Se o relacionamento era íntimo e bom, catar os pedaços após semelhante infortúnio é um vagaroso e gradual processo com muitas fases. Mas onde quer que Plutão se encontre, sua capacidade de se reerguer, como a Fênix, das cinzas, também está presente; embora Plutão os ensine a serem mais cuidadosos da próxima vez, ao desviarem inteiramente suas identidades de algo exterior para o self. Mesmo que o relacionamento fosse repleto de brigas e amarguras, a perda de um parceiro por morte pode ter um efeito devastador, sobretudo se a pessoa se sente parcialmente responsável pelo ocorrido, ou se o parceiro morreu antes que problemas interpessoais prementes pudessem ser resolvidos. Será importante para o parceiro sobrevivente fazer o que puder para trabalhar esses sentimentos; de outro modo, qualquer relação posterior poderá sofrer com esses problemas. A casa de Plutão pode ser facilmente assombrada.

Plutão é um planeta de extremos e, neste sentido, está estranhamente localizado na casa preocupada com equilíbrio, compartilhamento e preocupação em cooperar. O caso de quem tem o poder no relacionamento é bem focalizado aqui. Alguns vão transferir todo o seu poder para a outra pessoa, como se quisessem ser engolidas pelo relacionamento; outros não vão se sentir seguros se não forem os tais. Em qualquer dos casos, o equilíbrio de poder é desigualmente compartilhado e ainda há que se aprender lições sobre a verdadeira reciprocidade, Mais cedo ou mais tarde, um dos parceiros pode sentir a necessidade de se libertar a fim de crescer para além dos limites de tal arranjo.

Em muitos casos por mim analisados, quem tem Plutão na 7ª Casa sente muita dificuldade em eliminar ou deixar um relacionamento acabar. Para alguns, isso evidencia um tipo de lealdade determinado a continuar trabalhando nele. Para outros, suas identidades podem estar tão ligadas no relacionamento que deixá-lo seria como morrer. Na mitologia, comparado aos outros deuses, Plutão era um marido relativamente constante para Perséfone, e só foi infiel duas vezes. No primeiro caso, ele teve uma louca paixão pela ninfa Minte, mas em sua furiosa perseguição a ela, esmagou-a acidentalmente. (É possível que quem tem Plutão na 7ª Casa possa destruir uma relação pela sua própria intensidade.) No segundo caso, ele raptou uma das filhas de Oceano e levou-a para o seu reino, onde ela viveu até morrer de morte natural.

Plutão pode requerer a completa falência e eliminação de um relacionamento existente para permitir a continuidade da individuação de cada parte. Por outro lado, no entanto, Plutão também sugere que um relacionamento pode resistir a um sem-número de minimortes e renascimentos, tornando-se cada vez mais forte e durando muitos e muitos anos.


Quem tem Plutão na 7ª casa conta com a habilidade de ajudar aos outros em tempos de dor, de crise e de transição. Alguns podem ter uma enorme influência sobre a sociedade em geral. Dois exemplos ilustram a face social de Plutão na 7ª Casa. O ditador fascista Mussolini, que tinha Plutão regente da 12ª Casa, a casa dos movimentos coletivos. Em contraste, Betty Friedan, a infatigável líder da liberação das mulheres, tem Plutão na 7ª Casa regendo Escorpião na cúspide da 11ª e da 12ª casas.

 Esta posição de Plutão por casa também é útil em mapas de advogados, de pessoas dedicadas à cura, de conselheiros e psicólogos.

4 comentários:

Ricardo Medeiros disse...

Tenho plutão em escorpião na 7(em libra) e quero ser psicólogo especialista em Jung. ^^

Unknown disse...

Eu tenho plutão R, plutão meio do céu quadratura e urano R na casa 7, minha vida amorosa é um desafio constante para mim. E tenho sofrido muito nessa área. tive um relacionamento longo de 7 anos, mas fiquei viúva.

Jose Remigio Guedes disse...

Tenho plutão em escorpião, você poderia fazer "plutão em casa signo"?

Thais Baratti disse...

Vixi... Eu tb, tudo isso!