Meio do Céu e a 10ª Casa

Tudo aquilo com que a 9ª Casa sonha, a l0ª Casa traz para a Terra. No sistema quadrante de divisão de casas, o Meio do Céu o grau da eclíptica que fica no ponto mais alto do meridiano de qualquer ponto marca a cúspide da 10ª Casa. O Meio do Céu é o ponto mais elevado do mapa e aqui, simbolicamente, os posicionamentos "aparecem" acima de todos os outros do horóscopo. As qualidades de qualquer signo ou planeta nesta posição correspondem àquilo em nós que é mais visível e acessível aos outros, aquilo que "aparece" em nós. Considerando que o Fundo do Céu e a 4ª Casa (a casa oposta) representam aquilo que somos em nossa privacidade e como nos comportamos em nossos lares, atrás de portas fechadas, o Meio-do Céu e a 10ª Casa (naturalmente associada com Saturno e Capricórnio) indicam como nos comportamos publicamente, a imagem que queremos apresentar ao mundo os tipos de roupas que usamos quando "aparecemos". Liz Greene chama o Meio do Céu e a 10ª Casa de nossa "taquigrafia social" a maneira pela qual gostaríamos de ser vistos pelos outros e como nos descrevemos a eles.

Ainda com relação à elevada posição do Meio-do Céu, posicionamentos nesta área do mapa sugerem qualidades pelas quais queremos ser admirados, elogiados, apreciados e respeitados. É através dos signos e planetas nesta posição que esperamos conseguir realizações, honra e reconhecimento. Posicionamentos da 10ª Casa mostram aquilo que mais gostaríamos que fosse lembrado como nossa contribuição para o mundo. Esta é a casa da ambição, atrás da qual oculta se a urgência e a compulsão de ser considerado e conhecido. Os gregos antigos acreditavam que se conseguissem uma morte verdadeiramente nobre e heróica seriam recompensados e formariam uma constelação nos céus para que todos os vissem por toda a eternidade. Além do reconhecimento recebido, ser famoso significa estar na mente das pessoas para sempre. O ego isolado, tão temeroso de sua própria limitação, acha esta idéia tranqüilizadora.

A natureza de nossa contribuição para a sociedade, nosso status e lugar no mundo são mostrados pelo signo do Meio-do-Céu, pelos planetas na 10ª, Casa e, como sugerem os estudos de Gauquelin (veja páginas 109-110), qualquer planeta na 9ª Casa junto ao Meio-do-Céu. O planeta regente do signo do Meio-do-Céu e seu posicionamento por signo, casa e aspecto também nos elucida sobre carreira e vocação. No entanto, outras áreas do mapa também têm considerável relação com o sucesso na profissão (assim como a 6ª Casa, a 2ª Casa, os aspectos do Sol etc.), e o mapa de nascimento como um todo tem de ser cuidadosamente avaliado para se aconselhar alguém sabiamente a este respeito.

Em alguns casos, os signos e os planetas na 10ª e na 9ª Casa próximos ao Meio-do-Céu podem literalmente descrever a natureza da carreira de um indivíduo. Por exemplo, Saturno nesta posição tende a indicar um professor, um juiz ou um cientista; Júpiter, um ator, um filósofo ou um agente de viagens; e a Lua um pedagogo ou um hoteleiro. Thomas Mann, o famoso escritor alemão, tinha o comunicativo signo de Gêmeos no Meio-do-Céu e Mercúrio na 10ª Casa. Franz Schubert, o compositor austríaco tinha o musical signo de Peixes no Meio-do-Céu e Netuno, seu regente, na 5ª, a casa da expressão criativa.

No entanto, é mais seguro presumir que as posições junto ao Meio-do-Céu e da 10ª Casa sugerem, não tanto a própria profissão mas sim a maneira como a pessoa chega a uma carreira - o modo pelo qual o trabalho é dirigido ou desenvolvido. O juiz com Saturno na 10ª seguirá melhor a aplicação da lei do que um juiz com Urano nesta posição, pois suas sentenças seriam mais individualistas, inconvencionais e chocantes.

Os tipos de energia que exibimos ou encontramos nesta procura de uma vocação são também sugeridas por posicionamentos na 10ª Casa. Saturno ou Capricórnio nesta posição trabalhariam longa e pacientemente para chegar lá em cima; Marte ou Áries são agressivos e impacientes nesta esfera da vida, enquanto Netuno ou Peixes podem ser vagos ou confusos diante do seu papel na sociedade.

A 10ª Casa poderia também descrever aquilo que representamos ou simbolizamos para os outros. Marte tende a ser visto como um insolente ou como uma fortaleza de coragem e firmeza; Netuno como um santo ou um mártir, defensor dos derrotados ou vítima de si mesmo; e Vênus poderia simbolizar a sinopse da classe, do bom gosto e da beleza.

Se a 4ª Casa está associada ao pai, então a 10ª Casa relaciona-se com a mãe. No começo da vida, ela é todo o nosso mundo. As ligações da primeira infância estabelecidas com ela serão refletidas mais tarde na vida pelo modo como nos relacionamos com o mundo exterior em geral. Em outras palavras, a natureza daquilo que se passa entre mãe e filho (como mostrado pelo Meio-do-Céu e os posicionamentos da 10ª Casa) reafloram num posterior estágio de desenvolvimento como nossa maneira de nos relacionar com a sociedade e o mundo "de fora" como um todo. Se achamos nossa mãe ameaçadora e potencialmente destrutiva (como um aspecto difícil de Plutão na 10ª Casa pode sugerir) mais tarde o mundo vai nos parecer um lugar inseguro e tentaremos nos defender de acordo. Se nossa mãe sempre nos deu apoio e ajuda (posicionamentos bem aspectados na 10ª, teremos a expectativa de que o mundo vai nos tratar da mesma maneira - aquilo que Erik Erikson chama de confiança básica.

Se associarmos a 10ª Casa tanto com a mãe (dos pais aquele que dá a formação) como com a carreira, a escolha da vocação pode ser influenciada, de certo modo, pela nossa experiência com ela. Por exemplo, se Marte está na 10ª Casa, a mãe foi sentida como mandona e dogmática. Por esta razão, a criança guarda ressentimentos e tem raiva dela; cresce com o desejo de conseguir uma posição de poder e uma autonomia na vida para não ser "mandada" como aconteceu quando era ainda muito infantil. Lutar com a mãe cria um modelo de luta com o mundo.

Às vezes o desejo de conseguir o amor da mãe (assegurando assim nossa sobrevivência) marca a escolha da profissão. Por exemplo, se Mercúrio se encontra na 10ª Casa, a mãe pode ter sido sentida como significativa e inteligente. A criança então sente que é isso o que a Mãe aprecia e que é a isso que ela dá valor e tenta assim ganhar seu amor e seu carinho desenvolvendo tais aptidões. Uma expectativa estabelecida é a de que, distinguindo-se desta maneira, consegue o reconhecimento e, nesta proporção, pela vida afora, a carreira é tomada como algo que mostra as qualidades características de Mercúrio.

Em alguns casos pode ser a competição com a mãe o que nos impulsiona na direção de determinada carreira. Se Vênus está na 10ª Casa a mãe pode ser vista talvez como glamourosa e linda. Em certo sentido, Vênus foi projetada na mãe. A fim de solicitar suas próprias qualidades venusianas, a criança, mais tarde, pode procurar uma profissão na qual ela mesma seja admirada como linda, elegante e de bom gosto.

Muito simplesmente, a 10ª Casa descreve estas qualidades da mãe (ou de um dos pais em questão) que também estão dentro de nós, quer gostemos quer não. A saída é complicada, no entanto, pela possibilidade de os posicionamentos da 10ª Casa designarem aspectos da personalidade da mãe que nunca foram vivenciados - atributos e características que a mãe não expressa ou representa conscientemente durante os anos de crescimento da criança. Os planetas e os signos nesta casa tendem a descrever a maneira como a mãe teria gostado de ser se alguma vez se tivesse dado a oportunidade de fazê-lo. Uma criança terrivelmente sensível à psique da mãe e aos subentendidos que ficam latentes no lar, será receptiva não só àquilo que ela manifesta abertamente mas também àquilo que ela nega ou suprime. A criança pode ser inclinada a "vivenciar" o lado sombrio da mãe, como se a mãe se tornasse mais inteira ou redimida dessa maneira. A mãe de uma criança com Urano na 10ª Casa, por exemplo, pode parecer extremamente convencional, direita e limitada por um lado, enquanto abaixo da superfície se ocultam sentimentos explosivos e o desejo de espaço, de liberdade e de "se largar". De algum modo, este lado uraniano carregado é comunicado à criança, que cresce com uma compulsão para representar justamente aquelas qualidades às quais a mãe não dava livre expressão.

O posicionamento de muitos planetas na 10ª Casa geralmente sugere alguém ambicioso e desejoso de reconhecimento, status e prestígio. Aos homens, normalmente é dada maior liberdade para dedicar-se a essas necessidades do que à mulher. Deveria ser mais fácil para uma mulher com uma 10ª Casa forte procurar um parceiro poderoso ou famoso e com isto conseguir uma boa posição no mundo. Ela pode ser aquela que o incentiva para a fama e o prestígio; no entanto, intimamente ela pode se ressentir dos aplausos que o marido recebe e que não são para ela, e consciente ou inconscientemente encontrar maneiras de puni-lo por isso. Do mesmo modo, um ou ambos os pais com uma 10ª Casa forte tendem a deslocar a necessidade de realizações e reconhecimento não preenchidos para a criança. Algumas crianças podem cooperar com a projeção enquanto outras tendem a se rebelar contra ela, muitas vezes tornando-se exatamente o oposto daquilo que os pais esperavam.

A 10ª Casa se estende por trás da mãe ou do parente modelo para designar nosso relacionamento com figuras de autoridade em geral. Rancores ou feridas na primeira infância, por ter sido repreendido ou destratado por um dos pais, muitas vezes tendem a distorcer a realidade de futuras relações com outros símbolos de poder. O revolucionário pode defender uma causa verdadeira e justa mas o modo, espécie ou intensidade pela qual ele ou ela adere a convicções tende a revelar, de um ponto de vista reduzido, a contaminação de reminiscências infantis provenientes do comportamento dos pais. Isso não deve ser para menosprezar ou julgar aqueles que discutem o que é injusto em sociedade, mas são bem aconselhados a considerar sua 102 Casa e suas implicações psicológicas. Dar um soco na cara do chefe ou jogar ovos no primeiro-ministro é uma maneira de descarregar a criança zangada que existe dentro de nós mas pode não ser a maneira mais efetiva para se promover a mínima modificação necessária.

Presidindo o alto do mapa, a 10ª Casa significa a realização da personalidade individual através da satisfação pessoal conseguida usando nossas habilidades e talentos para servir e influenciar a sociedade. Alguns podem até receber aplausos e reconhecimento públicos por seu grande valor e mérito.

Um longo caminho foi percorrido da 1ª Casa até a 10ª. Na primeira, nós não estávamos sequer conscientes de nós mesmos como entidades separadas, nem sabíamos de nossa existência individual. No momento em que a 10ª Casa é alcançada, no entanto, já nos desenvolvemos e "encarnamos" o suficiente não só para te: um sentido mais sólido e concreto de quem somos mas também para termos maior consideração por ele.





5 comentários:

Henrique disse...

Muito elucidativo o texto. Parabéns!

Sara disse...

Parabéns pelo post. Cheguei agora ao fim e tenho bastante no que pensar. Sou do signo gémeos, tendo o meu sol na casa 10, bem como o meu meio do céu em gémeos. Para além do Sol, também Mercúrio e Venús encontram-se em Gémeos na casa 10 e, estes dois últimos, são retrógrados.

Mateus Santana Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RR ;) disse...

Belo texto!

Só uma observação, o meio do céu só é o ponto mais elevado do mapa no sistema de casas iguais, no sistema de casas por quadrantes ele é um ponto que tem como referencia o equador celeste que é uma linha imaginária, mas que é levada em consideração como se fosse real fazendo com que se mudasse a posição do m.c para diferente da do zênite - que é o ponto mais alto de qualquer observador na terra, ou seja uma linha perpendicular à sua cabeça -.

Lara Moncay disse...

Grata.