Quíron em Áries

Quem tem esse posicionamento pode sentir que não tem o direito de viver e, a autoafirmação e a iniciativa podem vir acompanhadas do medo de não-existir. É provável que só se senta vivo quando refletido em alguém. A motivação vem quando defende alguma causa. Com medo de ser impelido a entrar num ciclo repetitivo de tentativas inúteis e autodestrutivas, e para compensar a dor, pode se limitar a fazer demonstrações de sua força e espírito de luta, sem entrar para valer na luta. Existe uma propensão a agir de modo precipitado, descarregando de uma vez sua tensão emocional e transformando-a em ação.

Neste sentido, quem tem esse posicionamento, pode ser muito cruel consigo próprio em consequência de um senso de autossuficiência exagerado, por achar que deve caminhar sozinho, sem pedir ajuda. Internamente, pode surgir um sentimento de desespero e desejo de morrer, além de um temor profundo de fazer algo que possa exprimir o que realmente deseja.

Suas expressões espontâneas de paixão, de ser, ou vontade, podem ter sido esmagadas na infância, de forma sutil ou declarada. Métodos repressivos de educação como alimentação em hora certa, privação de contato físico, treinamento sistemático e/ou prematuro das necessidades fisiológicas, podem ter sido seus primeiros sofrimentos. Quando há interferência em seus ritmos naturais de vida com uma forte negação da vida, é provável que desenvolva a percepção de não ter o direito de querer ou desejar algo, funcionando como um desestímulo à satisfação de seus desejos, acreditando que tudo está bem como está.

Essa impotência diante da vida acarreta uma raiva profunda e quase sempre despropositada. Viver, então, passa a equivaler a aprender como agradar e aplacar terceiros, tentando preencher as falhas de outras pessoas, ficando anônimo.

Por outro lado, pode ser o tipo que compensou esse início de vida, sendo agora um pioneiro, uma pessoa cheia de força de vontade, impulso, energia e entusiasmo. Mas é importante compreender que essa é uma máscara que pode cair, e quando isso acontece, pode entrar em um estado lastimável de sofrimento e insegurança, chegando a ter desejo de morrer. A vontade de morrer pode ser causada por: resposta à raiva, à frustração ou à falta de controle diante de algum problema; pode representar o desejo de recuperar o poder ou uma reação ao sentimento de incapacidade de tomar decisões próprias. Pode haver um sentimento de que se morrer ninguém notará sua falta, nada mais vai restar de você.

Ás vezes, iniciar qualquer coisa é tão difícil que o indivíduo entra em colapso, desiste, na soleira daquilo que parece ser uma nova e emocionante fase de sua vida. Isso pode ser causado por ter tido uma experiência traumatizante no nascimento físico, por isso, qualquer novo início de vida pode ser encarado com confusão, medo e resistência.

Também é possível que se empenhe em encontrar algo que possa fazer e que resulte na construção de um senso de identidade, pode impor-se tarefas quase impossíveis para provar a si mesmo que existe e tem um lugar no mundo. Para algumas pessoas, essa luta é válida e dá resultado, para outras é inútil.

Pode ser que projete no corpo físico o sentimento de vergonha e constrangimento por existir, achando certos detalhes deformados ou feios. É necessário rever essa programação interna.



Assim, Quíron em Áries possui a capacidade de ser um curador ou um terapeuta e tratar pessoas que viveram uma infância difícil. Pode desenvolver a capacidade de instruir outras pessoas e dar-lhes poderes ao perceber a sua própria impotência diante do Universo. Quase sempre tem facilidade de agir intuitivamente no momento oportuno e agarrar a ocasião que se apresenta, aliando a compaixão à ação adequada, bem como de ser altamente inovador e tomar iniciativas, sobretudo quando o bem-estar de outros está em jogo. Adquire força na luta.  Embora as dúvidas sobre a própria existência sejam a grande ferida desse posicionamento, existe um forte magnetismo nesses indivíduos que atraem as pessoas facilmente.

Nenhum comentário: