Lua em Câncer

Como podemos caracterizar neste caso a qualidade que envolve a criança no momento do nascimento, nisso que temos denominado “capulho energético”? Câncer - manifestando-se através da Lua - reforça as afinidades entre signos e planeta, constituindo-se em uma energia extremadamente sensível, terna, branda e suave, que marca uma borda muito nítida com o que está fora diante dela que permanece fechada outorgando uma sensação de máxima segurança. É pura interioridade e não há aqui nenhum acesso ao mundo exterior. Dentro deste capulho não se vê o que está fora e a criança permanece totalmente envolto nessa energia suave e nítida, onde reina a calma mais profunda. Podemos imaginá-lo como um oásis interior, completamente fechado... Se algo o toca se fecha sobre si, escondendo-se, ou se encolhe como um caracol, ficando lá dentro. Ao contrário da Lua em Áries, quanto mais se interioriza mais segurança experimenta, só mais tarde, quando tenha desaparecido o eventual perigo, voltará a dilatar-se e a retomar sua forma natural.

A modalidade protetora destas pessoas, então, se manifesta como gerador de uma forte interioridade na qual se sente muito cômoda e segura, abastecida e plena de afeto.

Constituição do campo afetivo.

A energia básica da criança se comunica sem nenhuma mediação - diferente de outras luas que temos visto - com aquilo que definimos como o arquetipicamente natural. Aqui proteção, afeto e segurança provem diretamente da ternura, o carinho e uma forte energia simbiótica capaz de ministrar tudo o que necessita um ser vulnerável em crescimento.

Tudo isto que é próprio da criança ao nascer, se manifestará ao seu redor configurando as características ao redor em que se estabelecem suas primeiras relações afetivas. Evidentemente o vínculo com a “mãe” é neste caso muito estreito, íntimo e sem intermediações. Podemos imaginar um bebê gozando do calor do abraço materno, unido em seu interior. Não são ressaltados aqui os estímulos sensoriais e nutritivos, como no caso da Lua em Touro, mas sim a sensação de branda proteção e de alguma maneira a encenação, que quando garantida a segurança a criança abandona. Esta não contém perigo, como na Lua em Áries, nem está associada a distância como em Gêmeos, obrigando a buscar um acariciamento através do movimento e da palavra. A sensação arquetípica de máximo bem estar infantil aqui se vê confirmada, fazendo com que inevitavelmente a criança prefira permanecer com os olhos fechados, fantasiando e imaginando o mundo exterior. Possivelmente pense: “Que bom é estar aqui! Que acontecerá no mundo, que farei quando for grande? Seguramente percorrerei a Amazônia e realizarei grandes façanhas, serei importante e criador. Mas isto farei quando for grande, agora fico aqui, nos braços de minha mãe.”

E o problema é que, provavelmente, alguém com a Lua em Câncer siga pensando assim aos quarenta anos...

4 comentários:

kleber disse...

muito obrigado por todo o texto da lua em cancer. me ajudou muito e começarei as mudanças agora,saindo dos braços de minha mae, e detalhe; aos 42 anos...
mais uma vez, muito obrigado.

Lara disse...

Que bom que está acontecendo! É isso que importa!
Obrigada pela participação.

Anônimo disse...

Por que é difícil enxergar talento em pessoas com Lua em Câncer? Não entendi. Pessoas com lua em câncer são sensíveis, criativas, acolhedoras, possuem excelente memória, capacidade de adaptação...vejo muitos talentos necessários para o bem comum em pessoas com Lua em Câncer....bjs...

Lara disse...

Olá!
O Talento dessa Lua não é inexistente, às vezes, pode parecer a quem interpreta dificil de encontrar por estar muito misturado as suas características essenciais. Dê uma lida no post sobre o Talento da Lua em Câncer e vais entender: http://estudosdeastrologia.blogspot.com.br/2011/07/talentos-da-lua-em-cancer.html
Obrigada pela participação.
Abraços.