Casas Astrológicas

Existem três ingredientes básicos que se combinam para formar uma carta astrológica: os planetas, os signos e as casas. Os planetas representam impulsos, induções e motivações psicológicas peculiares. Como verbos, eles descrevem uma certa ação que está acontecendo; por exemplo, Marte assevera, Vênus harmoniza, Júpiter expande, Saturno restringe, e assim por diante. Os signos representam doze qualidades de ser ou doze atitudes perante a vida. O impulso de um planeta se expressa através do signo em que está colocado. Marte assevera de maneira ariana ou taurina, Vênus pode harmonizar de maneira geminiana ou canceriana, e assim por diante. As casas, no entanto, mostram áreas especificas da vida de cada dia ou em que campos de experiência tudo isso está acontecendo. Marte em Touro manifesta se de maneira lenta e firme, mas seu posicionamento na casa determina a área exata da vida em que a sua ação lenta e firme pode ser observada mais obviamente, seja na carreira da pessoa, fazendo com que ela aja deste ou daquele modo, seja em seus relacionamentos, na escola etc. Uma explicação bem simples seria: os planetas mostram o que está acontecendo, os signos mostram como está acontecendo e as casas mostram onde está acontecendo.

Servindo de lente para focalizar e personalizar a cópia heliográfica planetária dentro da paisagem da vida atual, as casas trazem a carta para a Terra. Mesmo assim, o significado e a função das doze casas é geralmente o menos compreendido de todos os fatores básicos da astrologia. A proposta deste livro é examinar de que modo uma avaliação correta dos signos e dos planetas em cada uma das doze casas pode nos orientar com vistas à nossa verdadeira identidade, iluminando o caminho para a nossa autodescoberta e a revelação do nosso plano de vida.

Existem algumas razões pelas quais o completo significado das casas tem sido tantas vezes desdenhado. Muitos livros sobre astrologia se detêm no significado "exterior" de cada casa e negligenciam seu princípio básico mais sutil e fundamental. A menos que o âmago do significado de uma casa seja alcançado, a verdadeira essência dessa casa fica perdida. Por exemplo, a 11ª Casa é normalmente conhecida como a "casa dos amigos, de grupos, das esperanças e dos desejos". À primeira vista, isso pode parecer estranho - o que amigos e grupos têm a ver com esperanças e desejos? Por que essas coisas todas estão englobadas debaixo de uma mesma casa? No entanto, quando o principio mais profundo e básico da casa é explicado, a conexão torna-se clara. O centro da 11ª Casa é "a pressão para nos tornarmos maiores do que já somos". Fazemos isso ligando-nos a algo maior que o nosso eu separado - alinhando-nos com amigos e círculos sociais, reunindo grupos, nos identificando com causas que nos tirem de dentro de nós P nos englobem num esquema mais amplo de coisas. Mas o desejo de sermos maiores do que já somos também tem de ser acompanhado pela capacidade de considerar novas e diferentes possibilidades. Em outras palavras, esperar e desejar algo nos transporta para além das imagens e dos modelos existentes de nós mesmos. Antes de termos um sonho realizado, precisamos ter um sonho. Entendida dentro do contexto do desejo que temos de ampliar nossa esfera de experiência já existente, a classificação da l1ª Casa como sendo a dos "amigos, grupos, das esperanças e desejos" começa a ter sentido no relacionamento entre eles.

A maneira convencional pela qual a influência dos planetas e aos signos nas casas tem sido interpretada é outro obstáculo para uma completa avaliação do significado de cada casa. Considerando os eventos como circunstâncias meramente externas que nos acontecem, a astrologia tradicional interpreta os posicionamentos numa carta sob uma luz determinante e fatalista, e deixa de compreender a parte que nos toca ao absorver o que nos acontece. Um astrólogo orientado apenas para ver acontecimentos, por exemplo, poderia dizer a um homem com Saturno na 11ª Casa, algo como: "Seus amigos vão limitá-lo, desapontá-lo." Isso pode até ser verdade, mas qual é o bem que essa interpretação pode trazer?

A premissa filosófica sobre a qual a astrologia psicológica se baseia é a de que a realidade de uma pessoa brota de sua paisagem interior de pensamentos, sentimentos, expectativas e crenças. Para o homem com Saturno na 11ª Casa, o fato de ter problemas com amigos é apenas a pontinha do iceberg - a manifestação exterior de alguma coisa que ele mesmo é responsável por criar. Sua dificuldade em se relacionar com companheiros é a manifestação superficial de algo bem mais profundo: o temor de expandir os próprios limites para incluir algo além de si mesmo. Ele quer tornar-se maior do que já é - para se identificar com algo além do sentido existencial do eu; no entanto, fica temeroso de colocar em risco a identidade que já tem. A 11ª Casa o impele a englobar uma realidade maior, mas Saturno diz "pare, preserve o que você já conhece". Entendido desta maneira, não são os amigos que o restringem, mas suas próprias restrições é que limitam os seus amigos. O astrólogo que mostra esse dilema introduz esse homem no pórtico da mudança. Confrontar essas apreensões, examinar suas origens e mostrar as possíveis maneiras de lidar com seus temores: eis as chaves que abrem a porta para posterior crescimento e desenvolvimento. Quando considerados dentro do contexto de abrir seu potencial e realizar seu plano de vida, as dificuldades deste homem com amigos torna-se uma necessária e produtiva fase de experiência. Com este Saturno na 11ª Casa, em vez de evitar ou culpar os outros, é preferível ater-se a ele, e este é um dos caminhos que "vai fazer dele aquilo que ele deve se tornar". Esta interpretação da 11ª Casa é infinitamente mais benéfica do que o "lamento, meu chapa, mas seus amigos são péssimos".

4 comentários:

Helo Art´s disse...

Cara Lara. Apreciei muito sua forma de explicar o significado profundo das casas. Estudo astrologia desde 1994, e sempre me vejo às voltas com o significado das casas, procurando justamente esse tipo de pensamento que você coloca sobre a 11a casa. Gostaria de saber onde posso estudar desta maneira. Há livros sobre essa abordagem mais aprofundada? Abraço fraterno. Heloisa

Lara disse...

Olá, obrigada pela participação.
Sim há, como se pode ver, a cada postagem existem marcadores e alguns nomes selecionados,o H. Sasportas consta em todos os posts que se referem as casas porque foram retirados de seu livro, "as dozes casas"... Há também livros da Liz Greene que são ótimos. Demorei muito tempo até encontrar os autores que mencionei e pra mim eles são os melhores, por isso resolvi compartilhar seus trabalhos, uma vez que encontramos muitas coisas mal escritas e com pouco significado sobre o assunto.
Boa pesquisa.
Lara

Ana Cabezas disse...

Olá! Começando a estudar astrologia e conhecendo seu blog. (A porta de entrada foi o Sasportas, que minha professora mencionou e eu não conhecia.
Vou passando por aqui.
_/\_

Lara Moncay disse...

Excelente porta de entrada! Esse texto é dele assim como os demais que se referem as casas. Muito grata por sua participação.