Jung e o princípio da astrologia


A experiência envolveu um estudo estatístico de aproximadamente quinhentos casamentos, abrangendo mil horóscopos. Os horóscopos foram dispostos aos pares de vários modos e fizeram-se comparações das cartas de indivíduos, tanto entre os cônjuges quanto com outros membros do grupo. Jung examinou cuidadosamente os horóscopos dos casais casados e não casados, e descobriu um sem-número de correspondências interessantes – notadamente uma tendência muito significativa, no caso dos casados, para a lua da mulher estar em conjunção com o Sol do marido.

Carl Jung na verdade parecia estar contestando o caso da oposição, dizendo que correspondências desse tipo não poderiam ser relacionadas casualmente, mas ao contrário dos céticos em astrologia, argumentou que as correspondências não podiam ser negadas e que, em conseqüência, tinham de ser levadas em conta, de um modo ou de outro. Por diversas razões, que envolvem argumentos estatísticos mais complexos, o grande psiquiatra não considerou sua experiência conclusa. O importante é o fato de que um homem reconhecido no mundo todo como um dos maiores e mais estimulantes pensadores do século ter considerado a astrologia suficientemente interessante, não apenas para fazer experiências com ela, mas também para incluí-la como parte integrante de sua teoria cosmológica.

O interesse de Jung pela astrologia e sua crença consequente na realidade dela enquanto princípio operante animou astrólogos sérios por toda a parte, e ajudaram tremendamente o desenvolvimento da astrologia psicológica.

Pela primeira vez, graças à sua abordagem despida de preconceitos, e à de muitos de seus colegas e sucessores cientistas, a astrologia começou a ser examinada com o respeito que sua história e tradição merecem: uma recompensa apropriada para aqueles que sustentaram seus princípios e práticas em épocas de mentes menos abertas.

4 comentários:

Galáxia de meus anseios disse...

Querida, que maravilha...abrir seu blog e dar de cara com ele!!! Amo esse homem,rsrsrs...! Danadinha já podia ter me avisado,rsrsrs. Ele é O CARA,rsrsrs, com todo respeito!!! Imagine que ontem estava ás voltas com a dita cuja,rsrsrs...eta sincronicidade e outra o Gregório P. de Queiroz foi o meu professor de astrologia...nois duas , hein??? Maravilhoso o que resovestes fazer!!!Parabéns.Te amo.beijinhos.

Marcia Souza disse...

Amiga dá uma olhada nesse link: http://www.artigonal.com/ciencias-artigos/a-visao-da-astronomia-a-cerca-da-astrologia-um-embate-ainda-atual-870010.html

Confesso que fiquei um tanto possessa. O que tu pensas a respeito?
bjsbjs

lara moncay disse...

Oi amiga.

Olha só, esse artigo carece de fontes e essas pesquisas são sempre faladas... Dizem que foram efetuadas e nada vem a público realmente. Qual o tamanho da isenção dessas pessoas e quais os verdadeiros objetivos? Tudo que foi mencionado é muito amplo. Por exemplo, não se pode analisar uma pessoa pelo signo solar, como fizeram, é claro que terá inúmeras diferenças representadas pelos outros planetas e os aspectos que formam entre si. Outro exemplo: “planeta Marte está associado à agressividade, logo, a pessoa tende a ser agressiva”, essa afirmativa só demonstra o tamanho do desconhecimento de quem a fez. Primeiro Marte é interpretado como uma força masculina de ação e fornece as características mais agressivas da pessoa, sim, mas essa energia expressa-se de várias maneiras, além do que agressividade todos nós temos em graus menores ou maiores, seremos mais ou menos ativos em áreas específicas. Entende?

Quanto ao zodíaco sideral, a astrologia oriental ocupa-se disso e com grande êxito, abrangendo tanto as estrelas quanto os outros corpos celestes.

Na verdade amiga, há muito tempo estudo astrologia, tenho mais de 1000 mapas estudados e comparados, tem todo um trabalho que se prova por si. Estou cansada de ouvir cientistas comprometidos com o materialismo negar o que é evidente, ou ainda, pseudo-cientistas, que em realidade são mero reprodutores do conhecimento alheio negar a astrologia. O fato é que, em minha opinião, eles são tão crentes quanto qualquer pessoa que acredita sem saber, ou nega sem conhecer. Pois se algum dia eles realmente estudarem a fundo, de verdade e com isenção, jamais poderão dizer que é irreal, ou inexistente, no máximo poderiam afirmar que não possuem meios de aferir sua veracidade, mas não podem de maneira categórica negar o que desconhecem. Isto não é ciência, isto é crença. Apóiam-se no fator mito e superstição para negar e falam bobagens como essa que acabamos de ler. Não perco mais meu tempo com isso. No dia em que realmente conhecerem e estudarem então sim, eu vou aceitar, também quero provas reais de sua não verdade. Ainda não podemos esquecer que maus profissionais e reprodutores há em todas as profissões e normalmente esses astrólogos de almanaque, em sua grande maioria, não sabem calcular um aspecto a mão, ou mesmo elaborar uma mandala, que não seja a fornecida pelo programas de computador. Isso infelizmente é real, e da mesma maneira, existem pessoas sérias que estudam e que colocam à prova seus estudos, e que criam novos conhecimentos a partir de suas teses e teorias, e sim, são astrólogos.
Beijocas.

Marcia Souza disse...

Resposta perfeita!

Sabia que seria à altura.
Obrigada.
bjs