Como atuará um Sol em Leão em casos similares?

Quando o mundo externo não corresponde ao padrão radial em que se experimenta a si mesmo, o leonino desenvolve toda a sua energia para provocar o “feed-back” adequado. O mecanismo da Lua em Leão, no final, pressupõe que não é necessário realizar nenhum movimento nem desempenhar energia alguma para que se produza o reconhecimento, e sim que isto deveria acontecer espontaneamente. Em princípio, a natureza de um Sol em Leão tem capacidade para fazer gestos e irradiar até conseguir chegar ao centro de algum ambiente, isto é decorrente do padrão radial, próprio de sua energia. Em outras palavras, faz todo o possível e se empenha para demonstrar que “está ali”, mas isto é um pressuposto emocional. Na Lua em Leão, não existe de imediato essa capacidade mas sim o pressuposto de que ‘é importante por si só...”, entendido como algo já dado e aceitado por todos. Pressupõe - e está é sua confusão - que para ser querida tem de ser especialmente valorizada, de modo que toda a situação em que se sente ignorada, torna-se desconcertante.

Então, se acredita ser o centro das atenções, não quer dizer que o seja efetivamente... Mas, alguma vez foi assim...

O registro histórico é haver sido esse centro de atenção, num momento determinado. Ali se desenvolveu o hábito afetivo pelo qual sente que se não é importante, não é querida. Esta é uma confusão psicológica, se os demais não reconhecem seu valor - sem que tenha que demonstrar nada - então não sente a presença de afeto e a situação entranha perigo. Não é fácil para a Lua em Leão expor-se para que sejam verificadas suas reais possibilidades. Em seu mundo imaginário não é possível ver-se obrigado a demonstrar nada, os demais deveriam saber de que é capaz, sem lhe pedir prova alguma. Toda a situação de exame ou de exposição é muito difícil para eles e tendem a reduzir-se a distintos tipos de racionalizações. Em seu mundo interno é - ou tem sido - aplaudido e reconhecido, mas quando isto se confronta com a realidade, o estrago é muito grande e em muitos casos paralisante.

Isto fará com que tenham grandes dificuldades para ampliar seus raios de ação quando não encontram alguém, para quem são especiais. Atrever-se a ir mais além do reino em que se sentem valorizados e admirados se converte em um traço grande demais para seu nível emocional.

Fixos em seu mundo, não se atrevem a entregar-se a novas possibilidades e experiências e, assim não fazem, muitas vezes participam com certa indiferença. Seguramente, as uvas que estavam verdes, haviam nascido um dia com a Lua em Leão.

Por certo, seu talento autêntico é a capacidade de expressar-se do fundo do coração, contagiando os demais com seu entusiasmo e vitalidade. Mas, predomina no imaginário infantil esta experiência fundamental postergando-se e subtraindo a verdadeira qualidade lunar às possibilidades do sistema em conjunto.

2 comentários:

Bastet disse...

Gostaria de saber como seria uma pessoa com Sol e Lua em Leão?

Lara Moncay disse...

Com os sentimentos e as percepções de mundo integradas!
Grata por seu comentário.