A Lua na 10ª Casa (Câncer no Meio-do-Céu)


Quando crianças, nosso bem-estar depende do amor de nossa mãe. Quem tem a Lua na 10ª Casa projeta a "mãe" no mundo: nossas necessidades de abrigo e segurança estão ligadas à profissão e ao status. Trata-se de pessoas extremamente sensíveis com respeito à sua reputação, à sua situação diante do público e a respeito daquilo que os outros pensam delas em geral. Não importa quão maduras e auto-suficientes possam parecer, dentro delas está um menininho ou uma menininha olhando para a mãe/mundo e pedindo para ser amado(a). Quadraturas e oposições à Lua na 10ª Casa demonstram outras partes da pessoa que frustram ou não combinam com o que ganhar esta aprovação requer. Um horripilante exemplo disso é Richard Speck, que nasceu com a Lua em Câncer na 10ª Casa, mas com Marte em Áries em quadratura com ela. Speck matou oito enfermeiras em junho de 1966 quando Júpiter transitava em conjunção com a Lua, reforçando a quadratura de Marte.
A pessoa com Lua na 10ª Casa muitas vezes mostra, através de gestos e movimentos, uma íntima identificação com a mãe. Quando crianças são excepcionalmente reativas à vida física e emocional. O aclamado músico Van Cliburn começou a estudar piano com três anos e aprendeu a tocar com a mãe, que havia sido concertista; ele tinha Câncer na cúspide da 10ª Casa e a Lua em Leão na 10ª. Mais tarde, algumas pessoas com esse posicionamento podem se tornar como mães de suas próprias mães. Em algum ponto, elas têm que descobrir onde termina a mãe e coçam a definir seu próprio espaço e sua realidade física.
A carreira ou profissão pode refletir qualidades maternais, servir e fornecer provimento às necessidades de outras pessoas, alimentá-las, abrigá-las, cuidar delas etc. A carreira vai ajudar a descobrir e expor seus sentimentos e emoções. Patrões e autoridades podem ser o alvo para problemas não resolvidos com a mãe ou os pais em geral.
Algumas pessoas podem encarar o mundo como se ele fosse uma mãe para elas, através da segurança social. Haverá uma sensibilidade para com os humores do público e um potencial para dominar os sentimentos das massas.
Câncer no Meio-do-Céu ou na 10ª Casa assume uma conotação semelhante à da Lua nesta posição.

9 comentários:

Thaís Menezes disse...

Eu sou de virgem com ascendente em libra, lua em virgem, e tenho cancer na casa 10 . Sou filha de uma mae aquariana com ascendente em aries. Minha mae realmente é uma presença muito forte, uma mulher batalhadora e confiante, generosa em certas areas, mas gravemente egocentrica e opositora. Ela é do tipo que ama mas nao aceita a diversidade, um amor bastante condicionado, imaturo. Ela nao consegue muito bem ter consciencia do outro, e acaba tendendo a querer controlar todos. Eu por ser muito pacifica e até passiva, cresci sendo um dos projetos de ascensao social dela, e como eu nao era brilhante acabei por sofrer pressoes e rejeiçoes desde a infancia. Eu nunca tive a certeza absoluta de ser amada por ela, mas tinha certeza de rejeiçao iminente se eu nao correspondesse a suas expectativas. Eu cresci praticamente sem personalidade muito definida, pois era reprimida por tudo e nao tinha reforços positivos ao meu jeito de ser, apenas opressoes, cresci totalmente assustada, me achava inferior ao mundo inteiro e que eu preferia nem existir. Inclusive tive uma vida de muita responsabilidade, tendo que ser responsavel pelos meus dois irmaos desde que eles nasceram, quando eu tinha 10 anos. Quando cheguei a uma certa idade meu pai, percebendo meu estado de calamidade, me disse que me amaria do jeito que eu fosse e que ele tambem poderia me fazer feliz, disse que eu tambem tinha direito a viver minha propria vida e me chamou para morar com ele.

Thaís Menezes disse...

Meu pai me disse: tenha força, pra ser feliz você tem que ter coragem de arriscar tudo. Disse que eu nao morreria sem minha mae, e eu achava mesmo que nao conseguiria viver se fosse rejeitada por ela. Eu decidi então abandonar a convivencia com ela assumindo o risco de ela me odiar para sempre, na verdade esse dia em que saí da casa dela foi o mais doloroso. Morei com minha mae durante 24 anos e sempre estive triste, apesar de ela sempre me amparar em tudo, so nao conseguia me dar amor, tambem tive um padrasto violento. Morando um ano afastada dela eu vi minha vida mudar da agua pro vinho, isso porque conheci coisas que nunca tive direito: liberdade, tranquilidade, nao ser excessivamente responsabilizada por outros, pela casa, por ser uma pessoa de sucesso rapido, nao ter que me diminuir pela vontade alheia e , principalmente, direito a individualidade. Me afastar da minha mae foi crucial para que eu pudesse realmente ter uma vida. Eu agora sei dizer : NÃO, inclusive para ela e qualquer outro. Sei que tenho tanto direito quanto os outros de fazer valer a minha individualidade. Eu sei que ela ama, e eu a amo tambem, mas quero distancia, pois eu tomei muito gosto por ser eu mesma e por ter liberdade. A liberdade e a individualidade sao as coisas mais preciosas que cada um pode ter. Eu nao quero ter filhos, nao sonho em ser mae pois seria arcar com responsabilidades muito grandes e nao teria tempo de trabalhar minha propria evoluçao pessoal. Talvez eu nao me case pois nao estou disposta a fazer papel de " mae" do marido, que trabalha fora, cuida da casa, e ainda cuida de roupa e comida de marido. Nao é estranha essa posiçao? Casamento é uma pratica bastante nociva em certos pontos, expectativas e responsabilidades tornam você um escravo da situaçao de estar casado, escravo do outro também, ja que o parceiro dominante escraviza o parceiro mais passivo por meio de chantagens emocionais e terrores psicologicos. Acho que pra mim casamento só será viavel se eu encontrar uma pessoa que nao queira me usar de expectativa de realizar fantasias, que nao queira atraves de mim alimentar seu proprio ego, que apenas ame a minha companhia, e que seja uma pessoa que não seja tirana e queira fazer valer como lei as suas vontades. Pois amar é gostar do outro sem expectativas ilusorias. Espero que minha mae me ame um dia alem da expectativa de ter uma filha advogada. Eu me formei em direito mas nao exerço. Estou estudando para concursos publicos e espero um dia ser psicologa e artista :D Astrologa para uso pessoal talvez rsrs astrologia é muito interessante. Desculpe o post grande. Gostei muito da matéria. Obrigada por compartilhar informaçoes preciosas.

Thaís Menezes disse...

Eu gostaria de saber se ter saturno, urano e netuno em capricornio é algo ruim. Eu sou uma pessoa demasiadamente introspectiva,vpor vezes parece que nao existem pontes entre mim e o mundo comum a todos, pareço viver num mundo particular de minhas ideias, parece que existem poucas pessoas com quem eu possa fazer conexoes de ideias, parece uma vida um tanto solitaria ainda que eu tenha familia e amigos. Sou um tanto excentrica quanto a interesses, ideologias, paixoes... Me sinto terrivelmente impar rsrs talvez isso seja bom e ruim. Bom em ser um individuo experimental e ruim em ser privado das alegrias simples da vida.

Unknown disse...

Nossa eu e Thaís somos a mesma pessoa, nosso mapa muito parecido e me identifiquei muito com tudo que ela disse, a diferença e que minha mãe sempre me amou e isso se tornou um problema pq eu me vi muito dependente dela, só agora eu vejo que tenho que ser livre e autônomo

Anônimo disse...

Nossa somos muito parecidas em tudo, exceto pelo fato da minha mãe demonstrar me amar. E o problema é que ela quer que eu seja boa em tudo, tipo perfeita, só pra esfregar na cara das pessoas.

Anônimo disse...

Tais, tbm tenho saturno, urano e nutuno em capricornio (retrógados) e tbm sinto que não pertenço a nenhum grupo, e que não há iguais a mim.. foi solitário na adolescência mas hoje me sinto bem. Minha lua tbm é na 10 e tive que me afastar da minha mãe. Minha mãe é sagitáriana e não tem a menor vocação para a maternidade, sempre se preocupou mais com o relacionamento com meu pai do que com os filhos. Fazem 2 anos que não fala com ela, e me sinto em paz por isso.

Angélica S. disse...

Tenho lua em libra no meio do céu. Fora a parte de eu ser super preocupada com minha reputação e status nada mais se aplica

Angélica S. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lara Moncay disse...

Muito grata pelos comentários.