Plutão na 10ª Casa - Escorpião no Meio do Céu

Se tomarmos a 10ª Casa como representando a mãe, então Plutão nesta posição pode mostrar uma mãe sombria, ameaçadora e capaz de destruí-los. Ela pode ser considerada uma bruxa, ou alguém primitivo, rude e manipulador. Eles tendem a sentir na mãe um ódio intenso e uma frustração ou sexualidade contida emanando dela. Sentem como se a mãe estivesse sempre ali, observando-os, mesmo que não esteja fisicamente presente. Enfim, ela é considerada perigosa e não confiável. No entanto, na realidade, ela pode não ser esse tipo de pessoa, mas a criança com Plutão nessa casa, em certos casos pode vivenciá-la predominantemente desse modo. Ou às vezes a morte prematura ou a perda da mãe são a raiz de futuros problemas na vida.

Como já foi dito na análise geral da 10ª Casa, nossas primeiras experiências com a mãe (nosso primeiro invólucro) contribuem para a maneira como vamos nos relacionar com o invólucro maior da sociedade. Se a imagem associada a uma mãe plutônica negativa é projetada no mundo, então essas pessoas vão temer que o mundo seja um lugar perigoso que tentará destruí-los. Alguns com esse posicionamento tendem a reagir a isso fugindo da sociedade e tendo o menor contato possível com o mundo. Outros compensarão o pavor de serem devorados com uma necessidade obsessiva de poder e de controle sobre os outros. Tentando conseguir novamente o sentido perdido da onipotência infantil, eles desejam estender seus territórios de influência o máximo possível sobre o mundo. Se eles é que mandam, quando eles são a autoridade, então se sentem seguros. Sua necessidade de poder pode ser tão premente que quaisquer meios justificarão a realização dos fins, como no caso do presidente Nixon, com Plutão na 10ª Casa. Ali também existe a desconfiança de quem quer que tenha autoridade sobre eles, um desejo de derrubar e destruir os que mandam antes que seja tarde. Por todas essas razões, quem tem Plutão na 10ª Casa sente a necessidade de reavaliar e de chegar a um entendimento mais profundo de seus motivos psicológicos ocultos de ambição, poder e sucesso mundano.

É claro que a descrição acima é uma explicação unilateral de Plutão projetada negativamente. É possível que a mãe tenha uma associação positiva com Plutão. Ela poderia ser vista como a grande doadora de vida, e vivenciada como fonte de conforto e de apoio excepcionalmente forte em todas as contingências do dia-a-dia. Algumas pessoas que conheço com este posicionamento observaram a mãe defrontar-se com sucesso com uma crise pessoal ou com um profundo trauma, e ficaram mais impressionados com sua habilidade de lidar com a adversidade e de sair mais renovada e regenerada. A mãe tornou-se então o protótipo positivo para futuras experiências desafiadoras com as quais tiveram de se defrontar. Desse modo, como adultos, com Plutão na 10ª Casa, desenvolveram qualidades de firmeza, vontade e resistência em relação aos outros.

O posicionamento de Plutão num mapa é onde periodicamente derrubamos, destruímos ou alteramos as circunstâncias existentes a fim de criar novas. É onde podemos ser reduzidos a nada a fim de levantar outra vez. Não só Nixon o fez, mas o chefe de sua equipe, H. R. Haldeman, nasceu com Plutão na 10ª Casa regendo a 3ª. Ele foi julgado por conspiração e ficou um ano e meio preso; foi quando escreveu o livro The Ends of Power ("Os fins do poder"). A atriz Elizabeth Taylor, cuja vida e carreira têm muitos altos e baixos, também nasceu com Plutão nessa casa. Em alguns casos, esse Plutão pode indicar a perda ou o abandono de uma carreira estabelecida e a necessidade de ingressar numa carreira de natureza completamente diferente.

Quem tem Plutão na 10ª Casa procura, em última instância, uma carreira profundamente engajante, significativa e excitante. Ou o trabalho é de natureza plutoniana ou seu enfoque será de um tipo de intensidade e complexidade associado a esse planeta. Alguns podem ser responsáveis pela reforma de instituições sociais já existentes, mas que estão velhas e ultrapassadas. Outros campos relacionados com Plutão são a medicina, a psicologia e trabalhos de ocultismo e psíquicos (Uri Geller, o famoso entortador de garfos, tem Plutão aqui), investigações científicas e jornalismo, política, mineração, pesquisa atômica etc. Fiz o mapa de duas pessoas com Plutão na 10ª Casa que trabalhavam em empresas onde não lhes era permitido revelar a natureza exata de seus trabalhos. (Uma delas tinha Escorpião na cúspide da 3ª Casa e falava russo fluentemente.) Outros podem seguir carreiras que reflitam o lado obscuro da sociedade - tal como a prostituição, o crime e o envolvimento com o submundo.

Ocasionalmente, cruzo com pessoas que têm Plutão na 10ª Casa e que dizem não ter ambição. Depois de conversar algum tempo com elas, torna-se claro que ainda se vêem como "pequenas" comparadas com o grande e poderoso mundo (a mãe) de fora. Normalmente são frustradas em algum nível pela falta de influência que exercem ou pelos empregos chatos em que se encontram. Em certos casos, aposto como algumas pessoas com Plutão na 10ª Casa não vão encontrar sua verdadeira vocação enquanto não forem capazes de usar seus poderes sabiamente e pelo bem de um de grupo mais amplo, em vez de usá-los somente para fins pessoais.


Escorpião no Meio-do-Céu ou contido na 10ª Casa é semelhante a Plutão nessa casa.

14 comentários:

Letícia Barbosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Letícia Barbosa disse...

Olá, tenho 15 anos e meu nome é Letícia! Tenho Escorpião no meio do céu e Plutão na 10ª casa! Gostei muito desse post. Não sei se no meu caso, o Plutão é negativo ou positivo. Não que eu veja a minha mãe de uma forma má, mas ela tem problemas de ansiedade e psicológicos, que tento compreender, porém às vezes me irrita por tais absurdos que pensa e fala... Coisas impossíveis, sem provas e inconvenientes. Ainda assim me considero a filha, entre as minhas duas irmãs, que mais a entende em relação a isso. Tenho medo de ficar como ela, totalmente dependente dos outros, financeiramente, mesmo separada de meu pai e também psicologicamente. Ela é tão teimosa, que não aceita ir a um psicólogo, foi duas vezes, mas não gosta de ser mandada ou contrariada. Mas eu queria que ela melhorasse, ela quer ter uma casa própria, quer ter dinheiro, mas quer uma pessoa para banca-la e etc. Ela acha que se alguém tem alguma característica parecida com outra, elas são parentes e alguém daquela família pulou a cerca, ela afirma que muitos famosos, pessoas que ela vê na tv, são nossos parentes e é uma pessoa muito desconfiada, que chega a acusar os outros sem ter certeza e com muita gritaria, nos fazendo ficar envergonhados e ofendidos, vários vizinhos ouvem o que ela fala e comentam dela. Eu não gosto de chama-la de louca, pois acho que ela não é, a psicóloga disse que ela tem problemas de ansiedade, porém achamos que ela tem mais, meu pai a ofende muito tbm. Eu queria muito ajuda-la, mas é impossível falar com ela, sempre acha que esta certa e se irrita muito fácil. Ela sofreu muito na vida, até aí eu entendo algumas coisas, só que ela guarda rancor de pessoas que fizeram mal a ela no passado, mas que hoje mudaram e querem ajuda-la. Eu sou a que mais pareço com ela, peguei uma mania que não gosto nela, de a vezes falar sozinha ou rir, não com tanta frequência quanto ela. Nós duas somos virginianas, porém não tenho tanta influencia assim de virgem, é o 4º signo mais dominante, já nela eu não sei, nunca fiz seu mapa, mas tenho certeza que isso tem muito a ver, acho que o signo possa estar no aspecto negativo, porque todos os signos têm qualidades e defeitos e pra mim, virgem é muito bom, só que a torna muito paranoica. Eu tbm me acho muito desconfiada, mas não tanto. Tenho medo que chegue ao mesmo ponto que ela. O que você acha?

Saori disse...

Letícia Barbosa, você já ouviu falar das personalidades homeopáticas? Talvez a homeopatia possa minimizar esses desequilíbrios da sua mãe identificando em qual tipo ela se enquadra. Dê uma pesquisada, já que a homeopatia é uma medicina holística (analisa o ser como um todo), os fatores emocionais e mentais também são avaliados e trabalhados na busca por melhorias na vida da pessoa.

Boa sorte (e confie na minha dica). "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena", já diria Fernando Pessoa. CONFIA E VAI!

thaysa aparecida disse...

Olá, meu nome é thaysa tenho 21 anos, bom eu perdi a minha mãe quando eu tinha 6 anos por causa de uma doença chamada depressão, com ajuda da traição do meu pai fez com que ela se matasse,fui criada pela minha tia/madrinha e meu pai de criação que era o esposo dela, até os meus 9 anos eu tinha uma vida praticamente "feliz", com 9 perdi o meu pai de criação, foram traumas muito grande, passei boa parte da minha vida me escondendo da sociedade,era uma menina acatada por causa desses sofrimentos, com a perda do meu pai de criação, as condições financeiras da minha mãe ficaram bem ruim, teve uma época que comia só miojo e tal,mas com tempo fez com que eu seguisse em frente com desconfiança, hoje estou fazendo faculdade de turismo,estou mais firme em relação a minha vida e a carreira, sei o que eu quero, estou tendo uma resistência a tudo, estou seguindo a minha vida com tranquilidade,deve ser por causa do meu signo também, pois eu sou libriana com ascendência em aquário e tenho um plutão em escorpião na casa 10, tenho mercúrio também em escorpião, então o que vc acha sobre isso?

Celia Reis disse...

Meu nome é Mateus, minha mãe (Celia Reis) , passa pelos mesmos problemas que você descreveu, tenho escorpião na casa 10, ela se doa muito a mim e a minha irmã, e vive pra nós, depende da ajuda dos irmãos, e é sedentária. Creio que ela vai melhorar, converso com ela várias vezes e já tivemos várias brigas intensas...

Lara Moncay disse...

Com Plutão na casa 10 a relação com a mãe é sempre complicada. Não existe bom ou ruim nos posicionamentos planetários, pois eles representam o resultado do que construímos em nossas vidas passadas. Toda dificuldade que enfrentamos é mais benéfica que os "bons" posicionamentos, porque são os desafios que nos fazem crescer, na medida em que saímos ou somos obrigados a sair, de nossa zona de conforto. O importante é perceber o quanto o quanto desses conflitos refletem em suas atitudes e nas pessoas que se tornaram. As mães escolheram seus caminhos, estão vivendo suas situações cármicas e as consequências de suas escolhas. Tentem perceber além, tentem vislumbrar o quanto e como isso os afetam, quando conseguirem fazer isso começarão a romper com o ciclo de sofrimento.
Obrigada por suas postagens.
Grata.

Vinicius Brazil Santana disse...

Olá, meu nome é vinícius tenho 17 anos sou librino com ascendente em aquario e lua em escorpião. Tenho uma relação de amor ódio com minha mãe. Uma hora estamos bem, outra hora estamos muito mal. Qnd era menor era uma pessoa com baixa auto estima e tinha medo de tudo. Com o passar o tempo descobri que em alguns aspectos minha mãe tirava essa minha "confiança" em mim mesmo. Ea geralmente não entende meus pensamentos e ideais ai a convivência fica dificil as vezes. Super me relacionei com algumas características! Abraços!

Atom disse...

Sou Stefano e a minha relação com minha mãe é boa, ela foi a maior guerreira que eu já vi, após a morte do meu pai ele deu a vta por cima, reconquistou sua vida, ela se doa de maneira incrível à sua família (uma virginiana forte). Tenho plutão na casa 10 em escorpião e sou estudante de medicina... Ou seja o contexto encaixa sempfe

Atom disse...

Sou Stefano e a minha relação com minha mãe é boa, ela foi a maior guerreira que eu já vi, após a morte do meu pai ele deu a vta por cima, reconquistou sua vida, ela se doa de maneira incrível à sua família (uma virginiana forte). Tenho plutão na casa 10 em escorpião e sou estudante de medicina... Ou seja o contexto encaixa sempfe

Meizon disse...

Tenho plutão na casa 10, meio do céu em escorpião. No meu caso, sou muito apegado à minha mãe e vice-versa. Minha relação com ela é boa, desde que ela não percebe que me distancio um pouco dela. Ela prefere, aos 60 anos(com muita saúde) trabalhar e sustentar a casa do que me permitir trabalhar. Ela é muito manipuladora e apegada aos filhos. Hoje, aos 26 anos, eu nunca trabalhei fichado. Eu dei muita atenção a ela e ela me fez ficar estagnado em casa, além de eu ter sol em câncer...o que complica ainda mais. Sempre que ela me vê conversando com outras pessoas, ela fica com ciúmes. A minha sorte é que apesar de ter 26 anos, aparento ter 18. Ainda bem comecei a procurar emprego e já tenho entrevistas marcadas e planejo sair de casa daqui 1 ano. Acho mães virginianas muito apegadas e dramáticas. Se eu ouvir, fico em casa e morro sem trabalhar e conversar com os outros. Infelizmente é difícil pra mães apegadas entenderem que um dia os filhos precisam bater as asas e sair de casa. A maior parte dos conflitos que tenho com ela é quando cogito em pular a cerca - desapegar dela, aí ela sempre apronta comigo.
Ótimo blog. É muito bom ouvir opiniões de pessoas que têm os mesmos aspectos que nós.

Anônimo disse...

Nunca tinha visto uma descriçao tao perfeita porque sempre li que a casa X se relacionava ao pai.
Perfeito

Unknown disse...

Ah como a astrologia sempre me encanta! Impressionada com o tanto de gente que tem esse posicionamento Plutão na casa 10 em Escorpião, no meu caso Plutão está nos últimos graus da sua Casa 9, ou seja, na cúspide da Casa 10 mas tenho e sempre tive muitos problemas no meu relacionamento com minha mãe que também é portadora de depressão. Somente gratidão por nos ensinar a como evoluir de forma menos dolorosa.

Anônimo disse...

Tenho plutão bem no primeiro grau da casa 10 em conjunção com a lua na casa 9 , ambos em escorpião. Minha tb é uma canceriana muito dominadora, e ela sempre conseguia minar minha auto confiança, sentia muita rejeição por parte dela, por eu não aceitar fazer as coisas da forma que ela queria. Mas hoje nos damos muito bem, ela sempre foi uma mãe muito amorosa e carregava a família nas costas. Sempre tive essa sensação de ser a filha que mais entendia ela, e por esse motivo tentava poupar ela, tentava fazer tudo sozinha e parecer forte, o que ela entendia como rejeição. E era o que eu recebia de volta. Também tem muito rancor do meu pai, que fez ela sofrer demais. Eu era a rebelde, mas tenho outros tres irmãos que não saem debaixo da asa, hoje são adultos e dependentes dela, uma até casada e com filha. Acho que nos davamos bem pelo simples fato de ser muito diferentes e pela falta de comunicação.

Nana D. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.